WhatsApp Pagamentos chega ao Brasil este ano com Pix, diz Cielo

A Cielo voltou a anunciar um prazo para a chegada do Whatsapp Pagamentos ao Brasil. De acordo com a empresa de pagamentos, o recurso será liberado pelo Banco Central ainda no primeiro semestre. A declaração foi feita nesta quinta-feira (28) pelo CEO da Cielo, Paulo Caffarelli, ao apresentar resultados do quarto trimestre de 2020.

WhatsApp Pagamentos (Imagem: Divulgação)

WhatsApp Pagamentos (Imagem: Divulgação)

Segundo o executivo, todos os requisitos do Banco Central para liberar o WhatsApp Pagamentos foram atendidos. “Estamos muito próximos de receber a autorização. Isso deve acontecer, pela nossa expectativa, no primeiro semestre deste ano”, disse Caffarelli, segundo o Mobile Time.

Ele afirmou ainda que “tudo caminha” para que o recurso seja integrado ao Pix. Com isso, os usuários poderão aproveitar suas contas bancárias para enviar dinheiro para contatos pelo WhatsApp Pagamentos. Além da Cielo, a solução poderá ter apoio de Nubank, Banco do Brasil e Sicredi, que, em 2020, também foram anunciados como parceiros do WhatsApp.

Esta não é a primeira vez que o CEO da Cielo afirma que o recurso está próximo de ser liberado. Ao apresentar resultados financeiros da empresa de pagamentos para o terceiro trimestre de 2020, o executivo afirmou que esperava a autorização do BC para o serviço já em novembro.

BC acompanha WhatsApp Pagamentos

O WhatsApp Pagamentos chegou a ser lançado no Brasil em junho de 2020. O serviço permitia transferências sem tarifas para usuários e com taxa de 3,99% para empresas no WhatsApp Business. Porém, dias após o lançamento, o Banco Central determinou sua suspensão para “avaliar eventuais riscos” à concorrência e à privacidade.

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) também suspendeu o recurso por notar “consideráveis riscos à concorrência”. Semanas depois, ele foi liberado pelo conselho e recebeu autorização do BC para realizar testes. Desde então, o serviço do WhatsApp não apresentou avanços em sua implementação no Brasil.