Twitter começa a testar Spaces com salas de bate-papo em voz

Depois de anunciar o Spaces em meados de novembro deste ano, o Twitter começa a liberar os testes da ferramenta para bate-papo apenas por voz para mais pessoas. A ideia é basicamente ter um chat como aqueles famosos e que estavam presentes no final dos anos 90, mas sem texto, com mais controle e moderação.

Twitter no iPhone (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

O Spaces funciona assim: você cria um grupo de bate-papo e as pessoas podem entrar livremente. Dentro dele o direito de fala pode ser moderado, permitindo que todos abram a boca, ou então apenas pessoas que o criador do grupo segue, indo até mesmo para participantes selecionados previamente.

Twitter promete proteger o usuário do Spaces

Mesmo com provável caos neste tipo de grupo, o Twitter garante que algumas ferramentas de moderação estão presentes até mesmo neste primeiro teste. Uma delas é a possibilidade de denunciar conteúdo inapropriado, como infrações por violência, conteúdo sexual ou comportamento abusivo dos participantes.

Nos testes abertos nesta semana, o Spaces aparece como opção para poucos usuários da rede social, focando em grupos de pessoas “desproporcionalmente afetadas por abusos e danos na plataforma como mulheres e pessoas de origens marginalizadas”, segundo a empresa. Outra limitação está na própria plataforma escolhida, já que neste momento apenas quem tem um iPhone, iPad ou iPod Touch pode testar a ferramenta.

Twitter Spaces (Imagem: Divulgação/Twitter)

Twitter Spaces (Imagem: Divulgação/Twitter)

A pesquisadora Jane Manchun Wong está com o recurso funcionando e reporta alguns bugs. O principal deles é a falha em alguns áudios, que simplesmente param de reproduzir a voz do participante. A fala pode ser acompanhada de texto, em espécie de transcrição, que continua normalmente mesmo após o erro.

Outro problema aparece quando o usuário entra em um grupo do Spaces, mas não reproduz áudio de nenhum membro. Também foi notado que, neste caso, o Twitter sequer tenta retomar o papo após o buffer ser carregado corretamente no aplicativo.

Com informações: TechCrunch.