Twitter cogita versão paga com recursos como “desfazer envio”

O Twitter voltou a declarar que planeja criar uma versão paga de sua plataforma. O plano é criar um serviço de assinatura para usuários aproveitarem recursos adicionais, como uma opção de desfazer o envio de tweets antes que seguidores possam lê-lo. A empresa também avalia a possibilidade de receber conteúdos exclusivos de perfis por meio de um pagamento mensal.

Twitter no Android (Imagem: Pixabay)

Twitter no Android (Imagem: Pixabay)

A informação voltou a circular em reportagem da Bloomberg, que aponta o desejo do Twitter de criar fontes de receita além de anúncios. Segundo a matéria, várias equipes na empresa estão trabalhando em ofertas de assinatura. Ainda não há informações sobre todas, mas uma é conhecida internamente pelo codinome “Rogue One”.

Entre os planos analisados, estão as propostas de cobrar usuários para terem a opção de desfazer o envio de tweets, personalizar os perfis com novos esquemas de cores, selos e stickers, e acessar o Tweetdeck. Há ainda ao menos uma proposta de permitir pagamentos por conteúdos extras de certos perfis.

Neste caso, os usuários poderiam dar gorjetas aos perfis e o Twitter ficaria com parte dos valores. Não há informações sobre como a oferta de conteúdos exclusivos funcionaria. Porém, é possível imaginar que a empresa aproveitaria o Revue, plataforma de newsletter comprada em janeiro, e o Spaces, sua ferramenta de salas de bate-papo em voz.

Twitter confirma que trabalha em versão paga

O Twitter admite que poderá oferecer uma versão paga para usuários que desejam receber novos recursos. A empresa indicou ao TechCrunch que o seu foco principal continua sendo aumentar o faturamento com publicidade. No entanto, sua equipe está pesquisando e experimentando novas fontes de receita:

“Isso pode incluir assinaturas e outras abordagens que darão às pessoas e empresas de todos os tamanhos no Twitter acesso a recursos exclusivos e oportunidade aprimoradas para criação de conteúdo, descoberta e engajamento. Embora estejamos entusiasmados com esse potencial, é importante observar que ainda estamos no início da exploração e não esperamos nenhuma receita significativa atribuível a essas oportunidades em 2021”.

A possibilidade do Twitter cobrar por recursos adicionais foi levantada em julho de 2020. Na ocasião, a empresa fez uma pesquisa com alguns usuários para analisar o interesse em pagar por funções extras. A lista já incluía a opção de desfazer o envio de tweets e também perguntava sobre suporte a vídeos em alta resolução e exibição de estatísticas avançadas.