Sem verificação, fakes do Clubhouse movimentam grandes discussões no app

Na última terça-feira (16), foi a vez de Brad Pitt brilhar entre os usuários famosos do Clubhouse, a nova rede social de áudio que vem dando o que falar. A surpresa é que, apesar de usar o nome e uma foto do ator e produtor norte-americano, o perfil não se tratava realmente de Pitt, mas sim de Jacob Tran, um fotógrafo de Nova York que não tinha nenhuma relação com o astro de Hollywood, de acordo com informações da Forbes.

Clubhouse

Clubhouse Imagem: William Krause/Unsplash)

Sem se pronunciar no chat, o fake foi capaz de movimentar a discussão sobre mudanças climáticas com milhares de outros usuários em uma sala do aplicativo, adicionando moderadores e observando tudo em silêncio. A conversa durou horas, e envolveu pessoas realmente ligadas ao assunto, como especialistas em hotelaria e da indústria têxtil que contribuíram com seus pensamentos sobre desperdício e o descarte de lixo.

Até mesmo promessas de investimentos em startups foram feitas durante o bate-papo. Todos pensavam que estavam discutindo diante dos ouvidos atentos de Brad Pitt.

“As pessoas estavam se juntando e eu estava apenas olhando as biografias”, disse Tran a Jesse Damiani, colaborador da Forbes. “Vi que as pessoas mais malucas estavam me seguindo, como atores ou gente notável. E então começaram a aparecer desenvolvedores e pessoas no espaço da criptomoeda, como o fundador da Litecoin.”

Além de Jacob, um amigo dele também se fez passar por outro famoso: Quentin Tarantino. Segundo eles, a intenção nunca foi “trollar” ninguém. A ideia era se divertir em salas com outros amigos, mas desconhecidos começaram a aparecer – porque é exatamente isso que acontece no Clubhouse.

Eles só foram descobertos quando, após muito tempo, alguém decidiu perguntar se Brad era realmente… Brad.

Fascinating thing happened in Clubhouse just now: “Brad Pitt” (literally has username @bradpitt) hosted a discussion on climate impact reduction. It brought out a bunch of incredible leaders and conversations…even though he finally did admit he’s not Brad Pitt. pic.twitter.com/I09vbp3RfQ

— Jesse Damiani (@JesseDamiani) February 17, 2021

Contra os Termos de Uso do serviço

Um fake em uma rede social está longe de ser novidade – mas há mais poréns nessa história. Como uma plataforma extremamente “jovem”, fundada em 2020, o Clubhouse ainda carece de recursos importantes que garantam alguns níveis de segurança aos usuários, como a verificação de contas, comum em outras redes, como o Facebook e o Twitter.

Tendo em vista que o hype do Clubhouse se deve bastante à influência de celebridades, como os pioneiros Elon Musk e Mark Zuckerberg, a ausência de mecanismos para atestar a veracidade da conta e do que é publicado por ela soa um tanto quanto problemático.

Segundo os próprios Termos de Uso do aplicativo, é proibida a criação de contas falsas ou duplicadas no Clubhouse. A rede social afirma que “você deve usar um nome e identidade reais no serviço, e também não permite que usuários incluam o termo “conta verificada” ou ícones/emojis que possam representar esse status – o que poderia confundir outras pessoas.

Clubhouse só aceita cadastros por convite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Sala de bate-papo no Clubhouse (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Ainda assim, isso não é o suficiente para manter os fakes fora em período integral, e a relação do Clubhouse com privacidade e segurança ainda não é um território totalmente explorado. De acordo com suas próprias políticas, a rede afirma que “você usa o serviço por sua própria conta e risco” e que “nenhuma transmissão de Internet ou e-mail é totalmente segura ou livre de erros”.

E quanto ao Jacob Tran? E Brad Pitt?

Após ser descoberto, Jacob Tran teve sua conta (@bradpitt) denunciada e banida, como é previsto pelas políticas do Clubhouse. Mas a grande questão aqui é o que contas falsas com nomes de famosos podem fazer, especialmente neste início, quando as pessoas ainda estão descobrindo o aplicativo.

Se você é usuário do serviço, cabe redobrar a atenção ao participar de chats com famosos, especialmente em assuntos mais delicados.

O Clubhouse afirma que “não pode controlar as ações dos usuários na plataforma, que podem procurar usar aplicativos ou dispositivos de terceiros para gravar, armazenar ou compartilhar conteúdo ou comunicação sem o consentimento prévio de outros usuários”, portanto é importante estar ciente de que apesar de ser feita para “usuários reais”, ainda há vulnerabilidades na rede social.

Com informações: Forbes