Raspberry Pi 4 ganha ventoinha de US$ 5 para não esquentar demais

A Raspberry Pi Foundation acaba de anunciar o lançamento de uma ventoinha para o Pi 4. O produto, chamado de Raspberry Pi 4 Case Fan, é um ventilador minúsculo combinado com um dissipador de calor, e deve ajudar a melhorar a performance ao evitar o estrangulamento térmico. O componente pode ser acoplado facilmente por meio de uma case oficial e custa apenas US$ 5.

Raspberry Pi 4 Case Fan (Imagem: Divulgação/Raspberry Pi Foundation)

O Raspberry Pi 4 ganhou uma versão com 8 GB de memória RAM em 2020, oferecendo um salto em desempenho e aproximando cada vez mais o pequeno computador aos notebooks “tradicionais”. No entanto, muitos usuários relataram superaquecimento ao utilizar o gadget com a case oficial por longos períodos.

O grande problema é que o calor excessivo provoca o estrangulamento térmico, limitando a performance da máquina. Apesar de a Raspberry Pi Foundation ter soltado uma atualização de software para otimizar o consumo de energia, a solução não é capaz de impedir o superaquecimento em casos mais extremos.

De acordo com a fundação, a nova ventoinha deve eliminar o impasse. Presa à tampa da case, ela se conecta à placa única do Pi 4 e puxa o ar pelos conectores USB e Ethernet, promovendo o resfriamento por meio de um dissipador de calor acoplado ao processador.

Ao que tudo indica, essa solução vendida à parte é uma ponte para formas mais eficazes de aumentar o desempenho e a usabilidade dos computadores no futuro. Vale lembrar que recentemente, a Raspberry Pi Foundation lançou um teclado com computador integrado por apenas US$ 70, com o objetivo de facilitar a adoção da máquina entre crianças e no ambiente corporativo.

Apesar dos preços acessíveis nos EUA, os dispositivos Raspberry Pi geralmente chegam por valores mais salgados no Brasil, o que se explica principalmente pelo imposto de importação e pela alta do dólar. Ou seja, a ventoinha que custa US$ 5 por lá, pode facilmente passar dos R$ 50 quando chegar por aqui.

Com informações: TechCrunch e The Verge