Facebook paga anúncio de jornal para criticar Apple e iOS 14

O embate entre Facebook e Apple por conta de uma função de privacidade no iOS 14 tem um novo capítulo. A empresa de Mark Zuckerberg veiculou nesta quarta-feira (16) anúncios em alguns dos principais jornais dos Estados Unidos para sustentar que a alteração no sistema operacional prejudicará principalmente os pequenos negócios.

Facebook no celular (Imagem: Tecnoblog)

A mudança no iOS 14 vai exigir que os aplicativos tenham a permissão dos usuários para coletar dados durante a navegação em outros apps e sites. A regra, que vai impactar apps com acesso a muitas informações, como o Facebook, começaria a valer em setembro de 2020, mas foi adiada para o início de 2021.

Para se posicionar contra a nova regra, o Facebook exibiu anúncios no New York Times, Wall Street Journal e Washington Post com a seguinte chamada: “Estamos enfrentando a Apple pelas pequenas empresas em todos os lugares”. A campanha ainda inclui um texto com críticas à mudança no iOS 14.

O Facebook afirma que a restrição da Apple à coleta de dados fará as pequenas empresas registrarem, em média, uma queda de mais de 60% em vendas feitas a partir de anúncios.

“Embora a limitação de como anúncios personalizados podem ser usados impactam grandes empresas como nós, essas mudanças serão devastadoras para as pequenas empresas”, afirma o Facebook. “As pequenas empresas merecem ser ouvidas. Ouvimos suas preocupações e estamos com vocês”.

I’m pretty certain #Facebook is fighting #Apple to retain access to personal data. #PID #privacy. #fullpagead #wsj pic.twitter.com/029WwaGSs0

— Dave Stangis (@DaveStangis) December 16, 2020

Facebook aponta prática anticompetitiva

Além dos anúncios, o Facebook publicou um comunicado em que detalha sua posição. A empresa afirma que a nova função no iOS 14 prejudica pequenos negócios e desenvolvedores que já estão com dificuldades em meio à pandemia do novo coronavírus, e afirma que a Apple aproveita o controle sobre a App Store para adotar práticas anticompetitivas.

O Facebook afirmou que a nova política da Apple “trata-se de lucro, não de privacidade”. A empresa alega que a mudança fará o faturamento da Apple aumentar de duas formas: com a plataforma de anúncios Apple Search Ads, que passaria a ser mais utilizada; e com apps que se tornariam pagos devido à perda na receita com anúncios e, por isso, estariam sujeitos à taxa da App Store.

A Apple não respondeu às críticas, mas já se posicionou sobre esse caso anteriormente. Em novembro, a empresa afirmou que o Facebook tem “desrespeito pela privacidade do usuário”. A companhia afirmou ainda que não é contra a publicidade ou a coleta razoável de dados, mas criticou o rastreamento invasivo sobre usuários.

Enquanto a função de privacidade no iOS 14 não entra em vigor, outras alterações feitas pela Apple detalham a coleta de dados dos aplicativos. Nesta semana, a App Store passou a mostrar as informações às quais os apps têm acesso. A página do Facebook exibe uma lista extensa de dados, o que deve fazer muitos usuários interromperem essa coleta assim que tiverem a opção.

Apple exposing all the ways Facebook tracks you with it iOS app is really quite something pic.twitter.com/hDhB85qk1L

— Tom Warren (@tomwarren) December 16, 2020

Com informações: Bloomberg, The Verge.