Deezer muda tática para derrubar apps piratas de streaming de música

O Deezer adotou uma nova estratégia para remover aplicativos desenvolvidos para piratear músicas. Até então, o serviço de streaming apresentava pedidos de derrubada genéricos para as plataformas que hospedam os apps piratas. Agora, os comunicados se tornaram mais detalhados, em uma tentativa de convencer para a necessidade da remoção.

Deezer (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

Deezer (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

No caso mais recente, o Deezer pediu que aplicativos como Deezloader e Deemix fossem retirados do GitHub. Na nova versão de sua mensagem, o serviço de streaming alegou ter adotado “ferramentas fortes de gerenciamento de direitos digitais” e “criptografia de nível extremamente alto” para evitar o download não autorizado de músicas.

A plataforma explica que criptografa todo o conteúdo em sua plataforma, incluindo músicas, para impedir a prática ilegal. No entanto, alguns programas no GitHub contornam o bloqueio e permitem o download das faixas. Ao todo, a empresa listou 18 repositórios que estavam sendo usados para baixar músicas de seus servidores.

“Para fazer isso, esses repositórios estão compartilhando as chaves privadas de criptografia recuperadas de forma maliciosa para contornar as medidas de segurança do Deezer para baixar ilegalmente seu catálogo de música, diretamente dos servidores do Deezer, em total violação de nossos direitos e os de nossos licenciadores de música”, afirmou a companhia.

Deezer detalha prática ilegal de apps piratas

No pedido de remoção, o Deezer informou como protege seus servidores e o que os apps piratas faziam para baixar as músicas ilegalmente. A abordagem é diferente da que vinha sendo adotada nos últimos anos pela plataforma, que costumava apresentar comunicados padronizados pedindo a derrubada de um aplicativo.

O GitHub, por sua vez, entrou em contato com autores dos repositórios para permitir uma espécie de defesa contra o pedido. Porém, a plataforma de desenvolvedores atendeu à solicitação do serviço de streaming e removeu todos os apps piratas citados no pedido.

Com informações: TorrentFreak.