Bitcoin e outras moedas ganham espaço no Apple Pay e Google Pay

A Samsung Pay e Google Pay oferecerão suporte a criptomoedas através da BitPay, plataforma de pagamentos mobile que trabalha com moedas digitais. Uma recente declaração da empresa afirma que até o final deste trimestre oferecerá um cartão para esses aplicativos que será lançado inicialmente nos Estados Unidos.

Samsung Pay e Google Pay suportarão pagamentos com criptomoedas (Imagem: Alesia Kozik/Pexels)

Samsung Pay e Google Pay suportarão pagamentos com criptomoedas (Imagem: Alesia Kozik/Pexels)

Na prática, se poderá usar bitcoin (BTC), Ether (ETH) e Bitcoin Cash (BCH), por exemplo, para pagamentos convencionais no Samsung Pay e Google Pay. O cartão da BitPay converte imediatamente a criptomoedas desejada para moedas tradicionais e então realiza a transação, operando sob a bandeira Mastercard. As stablecoins USDC, GUSD, PAX e BUSD, vinculadas ao dólar, também terão suporte.

A Apple Pay já integra o cartão da BitPay e oferece exatamente a mesma ferramenta. Agora, a Samsung Pay e Google Pay serão o próximo passo na expansão dos serviços de pagamentos com criptomoedas da empresa.

“Temos milhares de clientes do aplicativo BitPay Wallet que usam nosso cartão que estão sempre procurando novos lugares e maneiras para gastar suas criptomoedas”, disse o CEO da BitPay, Stephen Pair, em comunicado oficial. “Adicionar a Apple Pay e em breve Google e Samsung Pay torna mais fácil e conveniente usar nosso cartão em mais lugares, desde itens do dia a dia até compras de luxo.”

Outras empresas oferecem pagamentos com criptomoedas

Este não é o primeiro serviço de criptomoedas a se integrar a uma grande plataforma de pagamento móvel. Em março de 2020, a Coinbase anunciou que os usuários de Android poderiam usar seu cartão Coinbase no Google Pay para fazer pagamentos com moedas digitais.

A Tesla anunciou junto de sua recente compra bilionária de bitcoins que passou a aceitar criptomoedas como forma de pagamento por seus produtos. A Mastercard também anunciou na semana passada que integrará moedas digitais neste ano.

A Mastercard, por exemplo já opera parcerias similares a da BitPreço há algum tempo. Porém, em um recente anúncio,  a empresa de cartões afirmou que disponibilizará algo muito restrito atualmente: pagamentos diretamente com criptomoedas, sem conversões a moedas fiduciárias no meio do processo.

Criptomoedas ganham cada vez mais espaço

O bitcoin bateu nas últimas 24 horas o maior preço de sua história, de US$ 51.735. O ether segue tendo sua maior valorização acumulada neste ano de 2021. Outras criptomoedas também estão caindo no gosto popular e cada vez mais notícias saem sobre essas moedas digitais.

O resultado é o maior interesse de investidores institucionais e do varejo sobre as criptomoedas. Além da Tesla, a MicroStrategy, empresa de software empresarial, já detém mais de US$ 3,5 bilhões em bitcoin e anunciou que irá investir mais US$ 600 milhões no criptoativo. Naturalmente, as plataformas de pagamentos buscam se atualizar e integrar moedas digitais no dia a dia do cidadão comum.

Com informações: Android Authority